sábado, julho 29, 2006



DEUS quer,
o Homem sonha,
a obra vai nascendo...!

Fotos: IM






quinta-feira, julho 27, 2006

O MUNDO AO CONTRÁRIO

Ich bin ein Libanese!


"O MUNDO AO CONTRÁRIO"
2005
acrílico sobre tela
Foto: IM

os meus agradecimentos a Laerce que solicitou um post com uma tela minha, e a devida vénia a Alexandre Dias Pinto por escrever um artigo que eu gostaria de ter assinado.

domingo, julho 23, 2006

a próxima etapa...





pintura radical...!

Fotos: Máxima Interiores.

sexta-feira, julho 21, 2006

LUÍS VIEIRA-BAPTISTA

Dedicado a Almada Negreiros - 2005
Óleo s/ Tela
81 x 100 cms

http://www.luisvieira-baptista.com



ULTIMATUM FUTURISTA
às gerações portuguesas do século XX

Eu não pertenço a nenhuma das gerações revolucionárias. Eu pertenço a uma geração construtiva.
Eu sou um poeta português que ama a sua pátria. Eu tenho a idolatria da minha profissão e peso-a. Eu resolvo com a minha existência o significado actual da palavra poeta com toda a intensidade do privilégio.
Eu tenho 22 anos fortes de saúde e de inteligência.
Eu sou o resultado consciente da minha própria experiência: a experiência do que nasceu completo e aproveitou todas as vantagens dos atavismos. A experiência e precocidade do meu organismo transbordante. A experiência daquele que tem vivido toda a instensidade de todos os instantes da sua própria vida. A experiência daquele que assistindo ao desenrolar sensacional da própria personalidade deduz a apoteóse do homem completo.
Eu sou aquele que se espanta da própria personalidade e creio-me, portanto, como português, com o direito de exigir uma pátria que me mereça. Isto quer dizer: eu sou português e quero portanto que Portugal seja a minha pátria.
Eu não tenho culpa nenhuma de ser português, mas sinto a força para não ter, como vós outros, a cobardia de deixar apodrecer a pátria. (...)

Almada Negreiros
Obras Completas
Vol.VI
Textos de Intervenção
INCM

quarta-feira, julho 12, 2006


ANTÓNIO AFONSO
PORTAL CÓSMICO
2004
120 x 180 cm
acrílico sobre tela



O VALOR DA VIDA

O valor da vida não é dado
Não é tirado, não é roubado
E não é oferecido.

O valor da vida não é gratificado
Não é sorteado, não é prometido
E não é óbvio.

O valor da vida não é ofertado
Não é alcançado, não é préstimo
E não é evidente.

O valor da vida não é comprado
Não é obtido, não é plagiado
E não é exacto.

Nunca, mas nunca se irá compreender
A causa da sua origem
E imaginar a substância justificada deste valor.

João Castel-Branco / Linda-a-Velha.

domingo, julho 09, 2006

la squadra azzurra la squadra azzurra la squadra azzurra
la squadra azzurra la squadra azzurra la squadra azzurra
la squadra azzurra la squadra azzurra la squadra azzurra
la squadra azzurra la squadra azzurra la squadra azzurra
la squadra azzurra la squadra azzurra la squadra azzurra
la squadra azzurra la squadra azzurra la squadra azzurra
la squadra azzurra la squadra azzurra la squadra azzurra
la squadra azzurra la squadra azzurra la squadra azzurra
Foto: IM

aceitem partilhar as minhas flores...!

sexta-feira, julho 07, 2006

PEDRO MAGALHÃES



A MINHA HISTÓRIA
X-acto digital

A criatividade não se aprende. Ou se nasce com ela ou nada feito. O que Pedro Magalhães não sabia é que esse talento, com que na adolescência encantava os amigos a conceber “t-shirts” originais ou a fazer em papel autocolante com uma reprodução espantosa os símbolos de marcas conhecidas, viria um dia a tornar-se numa carreira profissional de sucesso.
O plano estava traçado para “suceder ao meu pai na sua empresa”, conta. Com os estudos orientados para a área da economia, o talento não arranjou mais por onde se expressar que as margens das sebentas. “Com o andar do curso, acabei por perceber que tinha optado pelo caminho mais fácil.” Como não se estava a ver de fato e gravata, este “designer” gráfico de 33 anos decidiu que era altura de passar uma borracha por cima deste trajecto ou começar com uma folha em branco. “A minha mãe convenceu-me de que era capaz de viver a fazer aquilo que sempre gostara: criar.” Depois de ter frequentado o curso de Designer Gráfico na ESTAL, as fotocópias, o papel vegetal, o “x-acto” e o papel autocolante foram substituídos pelo computador e pelas aplicações gráficas.
O seu caminho cruza-se com a Sportgrafics quase por acaso. O trabalho na área do desporto motorizado abre novas perspectivas. Mesmo trabalhando lado a lado com os clientes, consegue desfrutar de grande liberdade criativa. Já em miúdo era ele quem decorava os carrinhos das pistas eléctricas, por isso diz sentir “que não abdiquei de nada”. Clientes como Carlos Sousa ou a equipa WRC da Mitsubishi significam um mundo de desafios. O futuro? "A F1 é um objectivo inevitável. O trabalho efectuado com Tiago Monteiro na Fórmula Indy vai seguramente ser um bom cartão-de-visita", afirma.


Por: Miguel Brito
in Revista Carteira, Julho 2006


 

quarta-feira, julho 05, 2006


literalmente...

"nas tintas"!






Fotos: IM

segunda-feira, julho 03, 2006


volto logo que possível...! :)


domingo, julho 02, 2006

"George! anda ver o meu país de marinheiros..."




Tinha prometido a mim própria - mas quem não quebrou já uma promessa que avance - não falar de futebol, do mundial, do seleccionador, dos jogadores e conexos como sinal de luto pelo meu país, pela situação que a todos os níveis aqui vivemos.

Quiseram os deuses que ganhássemos à Inglaterra, nossa velha aliada mais para proveito próprio do que nosso - e estou apenas a lembrar-me do Vinho do Porto, mas outras reminiscências assomam de mansinho.

E porque os deuses quiseram ao decidir o resultado a 'penalties' que fossemos vencedores, talvez pudessemos, sei lá, prescindir de eleições e decidir desta forma o próximo Governo de Portugal.

É que se a coisa continuasse a correr MAL sempre poderiamos culpar os deuses!

nota: os meus agradecimentos pelo cachecol.

sábado, julho 01, 2006