terça-feira, abril 12, 2005

NA PLANÍCIE



ISABEL MAGALHÃES

1998
70 x 50 cms
Acrílico sobre tela

Col. Particular

15 comentários:

  1. Se eu gosto dos teus quadros em tons de azul, não gosto menos da luz que se desprende das tuas paisagens alentejanas, cheias de sol.

    ResponderEliminar
  2. Faço minhas as palavras anteriores! Quer os teus azuis, quer os quentes das cores solares resultam sempre em telas fabulosas! Beijinhos!

    ResponderEliminar
  3. Que cores vibrantes! Há uma força telúrica que me lembra o meu Terra 1! Curiosamente têm apenas 2 anos de diferença, sendo o seu anterior :)
    A propósito de pintura em blogs, aconselho vivamente o diário pictórico do artista Duane Kaiser, A Painting a Day ;)

    ResponderEliminar
  4. gosto destas tuas corres. tenho q aprender a manipula-las assim.

    ResponderEliminar
  5. Querida Azulinha;
    Estas telas são antigas e foram bem sucedidas à época, na minha primeira exposição em Galeria, em que mostrava apenas o que eu chamo "as minhas metáforas de paisagens" - os mares e os campos da planície alentejana. Fiz até, por encomenda, um tríptico de grandes dimensões, que teve por ponto de partida esta tela. Aqui só para nós, gostei do resultado...

    Obrigada pelas tuas palavras e pela visita. ***

    ResponderEliminar
  6. Olá Francisco;

    Obrigada pelas palavras e pela visita. É sempre um prazer. :)

    Um beijinho do continente num dia lindo de sol.

    ResponderEliminar
  7. Olá Sombra;

    Curiosamente também eu notei essa similitude de força telúrica quando vi o seu trabalho pela primeira vez, embora o paralelismo tenha sido feito com o seu TERRA II. :)
    Obrigada pela dica; já fui ao "A Painting a Day" e achei a ideia muito original e o autor dono de uma técnica excelente. Girissima a ideia da bolinha vermelha a anteceder SOLD! :)
    Outra coisa... quis deixar uma partilha no seu blog mas o sistema recusou. Recebi a informação que o artigo não aceita mais comentários e pergunto-me se será erro? :)

    ResponderEliminar
  8. Olá TCA, viva! :)))

    Acho que se trata apenas de deixar que a mão que segura os pinceis, vá transmitindo sensações. :)

    ResponderEliminar
  9. É possível que seja mesmo assim... Alguns donos de blogs queixam-se disso, afirmando que isso se deve a um sistema de prevenção do SPAM activado no 2º mês após a publicação do post. Ainda ninguém me tinha dito antes que isso estava a acontecer no meu blog, aliás recebi recentemente um comentário num post com quase 1 ano! Talvez seja o caso de ter chegado ao limite permitido de comentários por entrada...
    Se quiser pode enviar-me o seu para o e-mail que vou ver o que posso fazer ;)
    Obrigada:)

    ResponderEliminar
  10. Sombra;

    Assim farei. Pena não ter guardado cópia do que já tinha escrito. Tentarei recuperar de memória. :)

    Beijinho.

    ResponderEliminar
  11. Cheira a Alentejo! A luminosidade ao entardecer. Tem graça que eu nem engraço com o amarelo ou o laranja, mas gostei muito.
    Beijinho, Isabel. ***

    ResponderEliminar
  12. Gostei do quadro e das cores da sua geometria.

    ResponderEliminar
  13. Olá Noite! :)

    É muito bom ver-te por cá pois és a minha referência em Macau! :)

    Eu entendo; há cores que quase não uso nas telas, o verde, por exemplo, e afinal até gosto do Sporting! :) E outras que descrimino, caso da gama dos lilazes e roxos, o que não invalida gostar, pontualmente, de qualquer coisa com esses tons.

    Como estão as crianças?
    Deixo beijinhos.

    ResponderEliminar
  14. Olá Helena;

    Obrigada pela visita, a sua primeira, suponho.
    Já passei pelos seus blogs e deixei alguns sinais, mas vou voltar com mais tempo porque partilhamos gostos e referências.

    Deixo um abraço.

    ResponderEliminar
  15. Viva Isabel,
    Que belo quadro!...Os laranjas da Planicie faz lembrar o "Cairo"!Saudações das nossas :)

    ResponderEliminar