sábado, outubro 08, 2005

ALENTEJO II


Isabel Magalhães,
Alentejo II, 1998, 70 x 50, acrílico s/tela.


A cozinha regional

As açordas, os gaspachos, as sopas de baldroegas, de poejos, de tomate, de espargos bravos e, também, de cação e lebre são o início de refeições suculentas que, habitualmente, prosseguem com as deliciosas migas, adubadas por azeite ou toucinho, os pratos de caça, e, sobretudo, com os ensopados de borrego, o borrego assado, as empadas de aves. Mas é na carne de porco de montado que a cozinha alentejana encontra a sua expressão mais típica, transformada nos saborosos sarapatéis, nas cabeças de xara, no lombo com ameijoas, na orelha e rabo de coentrada, nos enchidos que criam água na boca como as cacholeiras, os chouriços, farinheiras, linguiças, paios brancos e presuntos barrados a azeite, colorau e massa de pimentão.
Nos doces, o toucinho do céu, a tiborna, a sericá, as boleimas, os pasteis, as queijadas de requeijão, as filhoses e nogados são bons finais de uma refeição. Quanto a queijos, Évora oferece queijos pequenos curados, fabricados com leite de ovelha ou misturado com o de cabra, de pasta dura e áspera, levemente picantes e salgados. Na região de Serpa são produzidos queijos de massa mole ou amanteigada, textura compacta, de sabor picante e forte aroma. Quando curados ficam duros e quebradiços, mas igualmente saborosos.


Os vinhos

A documentação comprova que, desde o século XIII, se produz vinho no Alentejo. Hoje a sua produção concentra-se nas áreas de Borba, Redondo, Reguengos e Vidigueira, com vinhos tintos encorpados e robustos, de cor rubi, aromáticos e elevado teor alcoólico - 13,5º.
Os vinhos brancos, também de graduação elevada, têm cor citrina ou palha e são agradáveis ao paladar.


in 'O Caminho dos Conquistadores'
Direcção Geral do Turismo
Direcção dos Serviços de Promoção.
1984

28 comentários:

  1. Viva Isabel,
    Se amanhã não fosse votar...pois iria decerto até Vila Viçosa...almoçar;)Que cheirinho a Alentejo:)saudações das tais.

    ResponderEliminar
  2. Sopas de baldroegas?... Pronto, está tudo estragado.

    ResponderEliminar
  3. Musqueteira,

    ... e ter-me-ía por companhia! :)

    Saudações das nossas e um abraço. :)

    ResponderEliminar
  4. Caro Henrique,

    «baldroegas» no original...

    mas eu sei que se trata de «beldroegas». :)

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  5. Isso é uma maldade, Isabel: abrir assim o apetite quando se está tão longe. Acho que me vou vingar nos vinhos. ;)
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  6. Caro CAP,

    Estás no norte, não é? Corrige-me se estiver enganada... :)))

    Em Lisboa, perto do Colégio Militar, há um restaurante de cozinha genuinamente alentejana onde gosto muito de ir. É o 'Galito'... uma 'catedral' da boa comida. :)

    Um [] e obrigada pela visita.

    ResponderEliminar
  7. Isabel,

    Pois eu também estou muito longe do Alentejo, mas gosto de tudo que me fale dele.


    Um beijinho

    ResponderEliminar
  8. Correctíssima. :)
    Aqui só chegam mesmo os queijos ou o fumeiro.
    []

    ResponderEliminar
  9. Gosto dos ocres alentejanos e das transparências que o sol filtra e que se notam.

    ResponderEliminar
  10. O meu problema não é como se escreve (eu sei que são baldroegas e que no alentejo dizem beldroegas), é mesmo o que se come. As baldroegas e sua sopa fazem parte dos episódios trágicos de alguns jantares da minha infância. Não, baldroegas não. Gosto de quase tudo o que é cozinha alenteja, menos baldroegas.

    ResponderEliminar
  11. Olá Helena,

    Agrada-me viver num país com um paisagem e costumes tão variados...

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  12. Cap,

    é estranhíssimo... afinal o Porto fica tão perto!
    Mas olha, os enchidos do norte tb são de primeiríssima. :)

    Um []

    ResponderEliminar
  13. Caro Henrique,

    pois eu pensei que o primeiro comentário era uma 'crítica' à palavra 'baldroegas' que está mal grafada no original. Quando transcrevi o texto, achei 'estranho' e consultei 3 dicionários da Língua Portuguesa e apenas encontrei 'beldroega'...
    logo, trata-se de uma 'gralha', que eu deveria ter 'asteriscado' mas não me ocorreu. :)

    Quanto à sopa ou salada da dita, pois nunca comi mas garanto que vou provar para não morrer na ignorância. :)

    Obrigada e um abraço.

    ResponderEliminar
  14. De acordo com o "Grande Dicionário da Língua Portuguesa" de José Pedro Machado, temos:
    baldroegas: o m.q. beldroegas

    Pode escrever como quiser, portanto. Eu não como, nem umas nem outras.

    ResponderEliminar
  15. Henrique,

    obrigada por mais esta informação... fiquei a saber que não era gralha! :)

    As minhas fontes de consulta foram:

    -Dic Língua Portuguesa - Texto Editora
    -Dic Língua Portuguesa Contemporânea, Academia das Ciências de Lisboa - Verbo
    -Dic Houaiss da Lìngua Portuguesa.

    Lá vou gastar mais uns euros na compra do Dic do José Pedro Machado! :)

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  16. Depois do desalento que o nosso concelho nos deu ontem, só mesmo uma refição alentejana para nos animar...

    ResponderEliminar
  17. Mocho,

    A minha lista ganhou a Assembleia de Freguesia de Linda-a-Velha.

    Quanto ao Concelho... pois!

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  18. tenho saudades do Alentejo. não posso deixar passar o Outono sem uma visita. beijos

    ResponderEliminar
  19. Isabel,

    os tons dourados do Alentejo já os conheço das tuas telas e de correr por essas planícies quando vou ao Sul ou quando me passeio por esses sítios belissimos e solitários.

    de comida alentejana só posso dizer bem, adoro! e as sopas também.

    beijinhos.

    ResponderEliminar
  20. O Alentejo marca. Os horizontes a perder de vista, a História, as cores e os sabores, a inesquecível sopa de cação, e o Alentejo aqui tão perto.

    ResponderEliminar
  21. Sempre com a criatividade e inovação necessárias para podermos prosseguir o nosso trabalho, gostavamos que nos desses a tua opiniao sobre o nosso post de hoje (11/10/2005)

    Obrigado

    :o)

    ResponderEliminar
  22. Olá gato_escaldado,

    boa sugestão a sua... :)

    Mais do que uma visita apetece-me fazer um fim de semana prolongado.

    Um []

    ResponderEliminar
  23. Musalia,

    mais uma vez estamos em sintonia... nas cores da paisagem e do menu! :)

    Beijinho.

    ResponderEliminar
  24. Olá, 'na companhia da crítica'!

    Julgo ser esta a sua primeira visita a este espaço que gosto de partilhar.

    Obrigada pelo comentário que partilho em absoluto.

    Volte mais vezes.:)

    ResponderEliminar
  25. pérola&granito,

    obrigada pela visita. Tb passei pelo vosso espaço e faço votos que sejam bem sucedidos no projecto. :)

    ResponderEliminar
  26. Obrigado pela simpatia, (ex Na Companhia da Crítica), voltarei ceramente, para olhar, para as suas cores e textos com olhos de ver e com a sensibilidade feminina que nos é inerente.
    Um abraço.

    ResponderEliminar