sexta-feira, outubro 21, 2005

A ÚLTIMA CEIA



A ÚLTIMA CEIA, c. 1497 *


Milão, Outubro de 1987 - Foi assim que vi pela primeira vez 'A Última Ceia’ do Mestre Leonardo, um fresco pintado numa das paredes do refeitório do Convento de Santa Maria delle Grazie, na cidade italiana de Milão. Na penumbra, cercada por andaimes, onde mestres especialistas em restauro retiravam camadas de tinta de sucessivos restauros anteriores, que punham em perigo a sobrevivência da obra para as gerações futuras, e com absoluta proíbição do uso de flashes.

O guia de turismo, de nacionalidade italiana, que nos acompanhou na visita, falou apaixonadamente do Mestre e da sua obra, das técnicas usadas, e revelou que Leonardo se repartia entre múltiplos e simultâneos trabalhos, muitos deles deixados por terminar. Infelizmente, o fresco começou a estragar-se ainda em vida de Leonardo, pois ele recusou-se a usar a técnica normal da pintura a fresco, que requeria uma execução rápida e utilizou, em vez disso, uma impregnação de óleo no reboco da parede. Isto permitia-lhe pensar e pôr o máximo de expressividade nas caras dos Apóstolos.

Algures no tempo, durante o período de vida do convento, os frades dominicanos, para encurtarem a distância do refeitório à cozinha, abriram, ou mandaram abrir, uma passagem em arco abatido, exactamente no local onde Leonardo da Vinci havia pintado as pernas de Cristo.

Durante a Segunda Guerra Mundial, o Convento foi bombardeado e parcialmente destruído. Das quatro paredes do refeitório, sobrou de pé a parede onde Leonardo pintou a sua obra-prima de penetração psicológica, sendo, sob vários pontos de vista, a principal obra do estilo do Alto Renascimento.



Fachada de acesso *

* Fotos IM

17 comentários:

  1. Minha amiga o que eu gosto de ler estas histórias.....

    Adoro Leonardo e a sua obra, sou fã da sua vida.

    Obrigado por todo o apoio que me deste e já agora agradece ao Santo António por mim..

    Beijocas

    ResponderEliminar
  2. Amigo Mocho,

    eu também gosto de História e das histórias da História...

    Quanto ao Santo... já tratei dos agradecimentos. :)

    Beijinhos a dividir com a Mãe Mocha.

    ResponderEliminar
  3. Tem graça Isabel tb vi a Última Ceia assim; um pouco mais tarde, a tinta já estava tirada e já estavam na fase da pintura das partes estragadas. Felizmente, ainda se podia lá estar o tempo que queríamos - tal como para ver em Pádua Giotto - e admirei muito o trabalho de uma senhora que sentada no andaime durante 10 minutos não se moveu de uma superfície de aí 2cm!
    Obrigada pelo post.

    ResponderEliminar
  4. Olá Helena,

    Obrigada eu, pela visita... :)

    Um pouco mais tarde, e já em Portugal, tb li numa revista um artigo a comunicar ao mundo os trabalhos a decorrer em Milão para salvar 'A Última Ceia' de Leonardo. Na foto do artigo é visível a abertra na parede - a que amputou as pernas a Cristo - e que eu não consegui fotografar por causa dos andaimes. Curiosamente, tb lá estava a tal senhora que imóvel reconstituía o fresco. :)

    Um []

    ResponderEliminar
  5. Este é um dos grandes mistérios da humanidade...que pretendeu dizer-nos Leonardo com este seu fresco?

    Bom fim de semana

    ResponderEliminar
  6. Isabel,

    Adorei ler este post e ver as fotos que tu mesma tiraste.Gosto muito de ouvir falar disto, deste, de outro e gosto porque sempre encontro por aí alguma coisa para a minha biblioteca de sonhos.

    um beijinho

    ResponderEliminar
  7. Os leilões das nossas peças continuam. Está a decorrer o terceiro. Queres dar uma olhadela?
    Beijinhos
    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  8. Gostei de ler o post, mas a foto colocada em primeiro lugar neste seu post, está de um misticismo que me atrai é diferente e as tonalidades que envolvem a mesma são atractivas. Cumprimentos.

    ResponderEliminar
  9. Isabel,

    a artista e a arte, poderia chamar-se este teu post. curioso, há uma ou duas semanas houve um ou dois programas sobre Miguel Ângelo, já é tão raro vermos coisas belas!

    beijinho.

    ResponderEliminar
  10. Caro Buddha,

    Os meus conhecimentos sobre Pintura Renascentista são um bocado empíricos, mas sei que há muita coisa em aberto sobre este trabalho..

    ResponderEliminar
  11. Laerce,

    Obrigada!
    Tens sempre palavras de estímulo e de incentivo!

    Já estive várias vezes em Milão, adoro a cidade, conheço-a relativamente bem, sou uma apaixonada pelo 'Duomo' que visitei com guia 2 ou 3 vezes. Gosto do canal, com batelões, agora apenas parcialmente aberto, e que serviu para transportar a pedra com que foi construída a Catedral.
    As Galerias Victor Emanuel são de uma beleza surpreendente e as ruas dos grandes costureiros um assombro. :)

    Beijinho.

    ResponderEliminar
  12. pérola&granito,

    obgda pelo convite...
    já passei por lá e deixei umas palavrinhas.

    Acho o vosso trabalho muito criativo.

    Votos de sucesso.
    Beijinho.

    ResponderEliminar
  13. Maria do Céu,

    Gostei muito da visita e do seu comentário.

    A apreciação que faz da minha foto é coincidente com a minha opinião; tiram-se muitas e, de repente, acontece 'a tal'...

    Já foi há muito tempo mas lembro-me que a falta de luz era tanta que disparei com pouca convicção.

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  14. Musalia,

    Sempre gentil nas palavras... :)

    Nos últimos tempos não vi tv. Hoje foi a primeira vez em muitas semanas que tive um sábado de 'dolce fare niente'!
    Passeei com os cães, vagueei pela casa, consultei uns livros dos Museus de Arte, procurei informações adicionais sobre o Leonardo mas não encontrei nada que não soubesse já.

    Um beijinho e bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  15. Maravilhoso este relato... e esta Arte... recordo a primeira vez que em viagem com os meus Pais a Milão, visitei Museus e Igrejas, a que na altura não dei valor!! Passado anos, percorri esses mesmos locais e aí a sagração foi imensa!

    Grata por esta partilha.

    Um abraço ;)

    ResponderEliminar
  16. Menina_marota,

    já ouvi as mesmas palavras à minha filha...
    'querer voltar aos locais que visitou na adolescência por não lhes ter dado o devido valor'.

    Eu também quero voltar a Itália; é sempre bom voltar a Itália. :)

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  17. Nota: Por lapso grafei mal o nome da Galleria Vittorio Emanuele, Milão.

    ResponderEliminar