segunda-feira, agosto 29, 2005

sábado, agosto 27, 2005

CONSTRUÇÃO


Isabel Magalhães, Construção, 1998


'CHICO O POLÍTICO'
... morreu na contra-mão atrapalhando o tráfego!

OS CANDIDATOS DO NOSSO DESCONTENTAMENTO

sexta-feira, agosto 26, 2005

Dinheiro para o combate ao fogo

Editorial - SÁBADO

Disaster Reduction
Japan’s Global Contribuition

A Embaixada do Japão apresenta os seus melhores cumprimentos e tem o prazer de informar que no próximo dia 28 de Agosto, às 18h30, irá ser apresentado o programa “Disaster Reduction Japan’s Global Contribuition”, no canal CNBC Europe.

Desde longa data que o Japão tem sido fustigado por constantes catástrofes naturais. Todavia, tais experiências de sofrimento têm-se revelado, através dos tempos, como importantes fontes de conhecimento, tecnologia e experiência na prevenção e redução de futuros desastres naturais constituindo, igualmente, um valioso instrumento de assistência a países com semelhantes catástrofes.
A decisão de cooperar internacionalmente bem como as acções levadas a efeito, neste contexto, são os assuntos principais deste programa da autoria do Governo do Japão.

A Embaixada do Japão agradece o interesse e toda a divulgação que venha a ser feita.
-----------------------------------------------------------
Embaixada do Japão - Sector Cultural
Av. da Liberdade, nº 245 / 6º1269-033 LISBOA
Tel: 21 311 05 60 / Fax: 21 354 39 75
E-mail: cultural@embjapao.pt
Homepage: http://www.pt.emb-japan.go.jp/

O CAVALO DE PARADA

Aqui!

terça-feira, agosto 23, 2005


pinto para me evadir do mundo real

Luís Pinto-Coelho nasceu em Lisboa em 1942. Aos sete anos inventou um reino imaginário, Cafim, que o acompanharia até ao fim da sua vida. Estudou pintura e escultura na Escola Superior de Belas Artes de Lisboa e em 1961 foi viver para Madrid. Aí, trabalhou sob a orientação do pintor Luis Garcia-Ochoa.
Além da pintura de cavalete, Pinto-Coelho realizou importantes trabalhos de cerâmica, pintura mural, escultura, cenografia, artes gráficas, fotografia, decoração e design, tapeçaria, gravura e retrato. As suas obras estão espalhadas por várias casas reais da Europa e constituem um marco na sociedade portuguesa.
A obra de Pinto-Coelho está representada em mais de um milhar de colecções particulares em todo o mundo e nos museus de Arte Contemporânea de Madrid e Lisboa, de Ayllón (Espanha), Ovar (Portugal), do Azulejo (Lisboa), da Cidade de Lisboa, no Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian, no Museu da Real Academia de Bellas Artes de San Fernando (Madrid), no Museu de Grabado Contemporâneo (Marbella), no Museu Olímpico (Lausana) e noutras colecções públicas.
OFICINA DO LIVRO.

Logo que esta primeira edição, de Janeiro de 2003, da autobiografia de Luís Pinto-Coelho foi posta à venda, adquiri um exemplar.
Desde meados da década de setenta, altura em que 'descobri' os trabalhos do autor, que sou admiradora da sua pintura, excepção feita às telas que retratam cenas da 'festa brava', mas isso são outros parâmetros que se prendem com as minhas convicções pessoais e nada têm a ver com a qualidade excelente de tudo o que pintou.
A minha - alguma - capacidade de compra de livros aliada à compulsão para o fazer, é manifestamente superior à disponibilidade para os ler - e aqui alguma culpa deveria ser imputada à blogoesfera que me tira horas essenciais para manter a leitura em dia, - e como diz a minha amiga Maria Sobral Mendonça, "os 'artistas' têm o seu tempo"... tempo chegou para agarrar neste livro, em fila de espera, nem sempre respeitada, porque nesta coisa de livros cá em casa não há senhas 'you are next', e a ordem pode ser alterada ao sabor do tempo, do meu tempo.
Do que sei do autor, pelo livro 'Luís Pinto-Coelho - Pintura', da Quetzal, pela imprensa e por amigos que com ele conviveram, a frase em contra-capa, de José Saramago, deixou-me curiosa. A leitura agora iniciada irá por certo revelar-me o que procuro saber.

quinta-feira, agosto 18, 2005

LUIS PINTO-COELHO

ZARATRUSTA
1975
Óleo sobre tela
120 x 120 cms
Col. do Autor


Contra o que se pensava, Luís Pinto-Coelho não foi o pintor da sociedade. Quem o conheceu, quem estudou a sua obra, quem pôde cultivar a sua amizade e a sua intimidade, saberá que o Luís foi exactamente o contrário disso. O tempo o demonstrará.

José Saramago

sexta-feira, agosto 12, 2005

Para rir à gargalhada...

ou talvez não!

Encontrei a tradução da minha página no Yahoo.com

Isabel Magalhães + Pintura

Para uma mais fácil comparação inseri o original a azul.

Apenas alguns exemplos:

Course "the Art in Portugal in Séc. XIX and XX" - leccionado for Silenced the Dra. Monitorial Maria - ESBAL.
(Leccionado pela Monitora Dra. Maria Calado - ESBAL)
Courses of Historia of the Painting, Tiling and Goldsmithery - Institute of Tourist Formation.
It played functions of:
Technique of Tourism in the General Direcção of the Tourism and in Institute of Tourist Promotion, Palace Lisbon Estuary.
(Palácio Foz - Lisboa)
Tradutora/Intérprete (to free-lancer).
It displays since 1998 and it makes workshops of Painting.
It is represented:
in the Gallery of Art of the Foundation Marquis of Pigeon house,
(Galeria de Arte da Fundação Marquês de Pombal)
in the Meeting of Clientele of Linda-a-Velha,
(Junta de Freguesia de Linda-a-Velha)
e in some particular colecções.

Collective expositions
1998
Association of Students - College of Motricidade Human being, Broken Cross.
(Faculdade de Motricidade Humana - Cruz Quebrada).

Individual expositions

1999
"OF THE COLOR TO THE HEART"
Inauguration of the Gallery Marries Rita Saint, Colares/Sintra.
("Da Cor ao Coração" - Inauguração da Galeria Casa Santa Rita, Colares/Sintra.)


Muito provavelmente serão estes programas que fazem a tradução para português dos folhetos dos nossos electrodomésticos.

TORGA POETA IBÉRICO


Miguel Torga nasceu a 12 de Agosto de 1907 em São Martinho da Anta, Trás-os-Montes. Faleceu em 17 de Janeiro de 1995. De seu verdadeiro nome, Adolfo Correia da Rocha, Miguel Torga é o pseudónimo literário pelo qual ficou conhecido. Era Licenciado em Medicina pela Universidade de Coimbra. Foi distinguido com vários Prémios Literários e a sua obra encontra-se traduzida em diversas línguas. Durante muitos anos editou os seus próprios livros.


Ave Poética

Não tenho nada mais senão as asas.
Quando subo os degraus do firmamento,
É com elas que subo e que sustento
O peso bruto desta incarnação.
Asas de penas que me vão nascendo,
E que voam depois, desconhecendo
Que fúria azul as levantou do chão.



Torga, sua mulher, e os cães de caça, diante da casa onde nasceu.

Foto: MIGUEL TORGA POETA IBÉRICO de Jesus Herrero - arcádia

quarta-feira, agosto 10, 2005

NA DISTÂNCIA

ISABEL MAGALHÃES

'NA DISTÂNCIA'
2001
73 x 92 cms
Acrílico sobre tela
Colecção Particular


INSCRIÇÃO

Quando eu morrer voltarei para buscar
Os instantes que não vivi junto do mar.

Sophia de Mello Breyner Andresen

terça-feira, agosto 09, 2005

O Eterno Labirinto ...


Aqui

TESTE DE GRAFOLOGIA

Resultado:

A inclinação de sua letra mostra que você parece ser uma pessoa equilibrada, educada. Mas é um pouco “fria” com quem acaba de conhecer. A ligação de sua letra revela organização, raciocínio lógico e razoável capacidade de adaptação. A direção de sua letra indica controlo, constância e organização, especialmente nas tarefas quotidianas. A pressão que usa ao escrever sinaliza estabilidade e equilíbrio. As áreas valorizadas na sua escrita destacam idealismo, erudição, preocupação com seu crescimento interior. A forma de sua letra demonstra sinceridade, capacidade de adaptação, espontaneidade; sensualidade.

Faça também o seu! Aqui!

"Diogo Cão"




(...)
A um 'Mocho' nada se nega
E eu quero por força ir de burro.



Nota - Com a ajuda do Poeta Mário de Sá Carneiro.

domingo, agosto 07, 2005

NO ALTO DA MADRUGADA


ISABEL MAGALHÃES

'NO ALTO DA MADRUGADA'
2001
73 x 92 cm
acrílico sobre tela

Colecção Particular

quarta-feira, agosto 03, 2005

Hoje estou em casa.
Joga o meu SPORTING!