terça-feira, novembro 22, 2005

JOSÉ ESCADA (1934-1980)

O meu Strof, 1979, acrílico s/tela, 34,5 x 43,5 cms

(Col. Particular)


11 comentários:

  1. Gosto das cores, do enquadramento e da beleza do olhar...muito bonito

    ResponderEliminar
  2. Ainda bem que o intervalo foi curto e que nos continuas a mostrar tão belos trabalhos! Beijinhos dos Açores!

    ResponderEliminar
  3. Ora voltámos à pintura...E voltaste bem, adoro este quadro...ai se eu fosse rico...

    ResponderEliminar
  4. Caro Buddha,

    O Escada foi um pintor com uma sensibilidade muito especial.

    Mais um a quem não foi prestada a devida atenção.

    Fico sempre nostálgica quando vejo trabalhos dele.

    Um []

    ResponderEliminar
  5. Olá Francisco,

    Tb me admiro como voltei tão depressa...

    O blog faz-me falta e a pintura (nem que seja apenas falar dela) é um grande refúgio. :)

    Beijinho daqui! :)

    ResponderEliminar
  6. Querido Mocho,

    O Escada tb pertencia ao clube dos nativos de caranguejo - 26 de junho - e isso está, de algum modo, marcado na obra dele e no percurso que escolheu fazer.

    Se tivesse nascido e vivido noutro país não teria sido 'tão' esquecido...
    A Sec da Cultura fez-lhe uma retrospectiva da obra, na SNBA, no ano em que morreu, e depois nunca mais se ouviu falar dele; com excepção dos amigos e dos apreciadores do seu trabalho.

    É a vida!

    Um beijico. :)

    ResponderEliminar
  7. Isabel,

    Que olhar tão meigo o deste cão como um convite ao afago.

    Pena pessoas destas cairem no esquecimento. O que é preciso fazer para que este país se olhe de frente e mude de atitude?

    ResponderEliminar
  8. Laerce,

    para este país mudar de atitude é preciso mudar a atitude das pessoas e isso tem que começar pouco depois das 'fraldas e dos biberons'...

    Em Inglaterra, as crianças, a partir dos três, quatro anos, são levadas aos museus e galerias. É vê-las, sentadas no chão, todas com aqueles uniformes girissimos dos colégios ingleses, de bloco sobre as pernocas cruzadas e de lápis na mão, a 'reproduzir' as obras expostas.

    Tudo se aprende na vida - até a gostar! :)

    Bjsss.

    ResponderEliminar
  9. (Recebido por e-mail)

    Olá Isabel,
    Adorei o seu blog A Redea Solta e ia toda lampeira a deixar este post quando fui impedida por não estar inscrita ... De facto não sou blogueira, sou apenas uma outsider que adora navegar ao sabor dos sentidos.

    De qualquer forma, não quis deixar de lhe mostrar o que escrevi e ... aqui vai.

    "Só agora conheci este blog e fiquei fascinada.
    O Escada foi um artista com uma grande sensibilidade a merecer ser lembrado (como aqui) e sobretudo visto. Fiquei deliciada com uma exposição realizada há 2 anos na Fundação Antonio de Almeida onde pela primeira vez pude ver a sua obra e onde estava incluido este quadro, feito já no final da sua vida... com o seu fiel amigo Strof, um dos poucos que não o abandonaram.
    Tem razão, Isabel. Tudo se aprende na vida, até a gostar. Considero que este seu blog contribui, também, para despertar esse gosto.
    Obrigada"

    Um abraço

    Julia Coutinho

    PS - Gostava de conhecer as suas pinturas ...

    ResponderEliminar
  10. Cara Júlia Coutinho,

    Muito grata pelas palavras que me enviou e que considero um estímulo para continuar a mostrar pintura.
    A partir de Agosto de 2004 pode encontrar no "à rédea solta" cerca de uma centena de trabalhos meus.
    Vou, também, abrir os comentários para que possa dar-me a sua opinião sempre que me visitar.

    Um abraço

    Isabel Magalhães

    ResponderEliminar
  11. sabes o significado do quadro?

    ResponderEliminar