quinta-feira, novembro 04, 2004

4.

Acende a lua nova. E desabrocha
como uma flor vermelha na seara
Num cavalo de vento e de palavras
despenteia os cabelos da tristeza

Vem ter comigo à hora dos lilazes
quando todas as fontes se enamoram
dos cântaros vidrados de poente
e os seduzem com motetes de água

Se vieres pelo trilho das gaivotas
ainda entontecido de mar alto
encontrarás na terra do meu corpo
as sementes da tua eternidade.

Rosa Lobato de Faria
in Poemas Escolhidos e Dispersos

12 comentários:

  1. Um poema belíssimo!
    E então, já fizeste a experiência com as fotos? Ontem estive todo o dia fora da ilha, daí não ter sido possível cá aparecer...

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  3. Os poemas da Rosa são realmente belíssimos e a imagem poética que nos dá, deixa-me "suspensa".
    Já agradeci a explicação que fizeste o favor de me deixar lá no teu espaço. Breve, muito breve, vou utilizá-la. Só espero conseguir. :))
    Também sei que voaste da ilha... num pássaro de metal, qual eterno viajante do espaço. :)

    Um beijinho, Francisco, meu desconhecido amigo.

    ResponderEliminar
  4. Fico à espera do review ao Indiano :) Bom gosto na escolha do poema.

    *A

    ResponderEliminar
  5. Olá Alexandre N. welcome a board! :)))
    Obrigada pelas palavras; não deixarei de passar pelo Indiano.
    Volte mais vezes. :)

    ResponderEliminar
  6. Não conheço a obra de Rosa Lobato Faria. Conheço a sua forma de dizer poemas. Este, parece-me muito bonito.
    Beijinho, amiga.

    ResponderEliminar
  7. Musalia;

    Por motivos que me ultrapassam, o Blogger não publicou o teu comentário das 17.36H :) Tomei conhecimento porque os recebo por e-mail. :)
    Concordo contigo; a Rosa Lobato de Faria é dona de uma extraordinária capacidade de dizer poesia e de a escrever também. O PEQUENO/GRANDE livro cujos poemas aqui vou deixando, é a prova disso. Foi a Magda que a trouxe cá para casa.

    Beijinho.

    ResponderEliminar
  8. LOL! O Blogger está doido, Musalia.
    Acabei de publicar a resposta ao teu comment que nao "aparecia" e agora "lá está ele", todo certinho, no devido lugar. Antes assim! :)))
    Bjs.

    ResponderEliminar
  9. O sentimento libertador da PAIXÃO!
    O arrebatamento do AMOR!
    Largar tudo e partir ao encontro do DESTINO!
    Esquecer tristezas e ser FELIZ!
    Despir todas as armaduras e curar todas as feridas nos braços da MÃE dos nossos FILHOS!

    A Rosa é sem dúvida uma alma de grande sensibilidade!

    Bjs :-)

    ResponderEliminar
  10. Estou certa que sim. É isso que "vejo" nas palavras que ela escreve.

    Bjs R. Gui! :)

    ResponderEliminar
  11. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  12. Olá joão M!

    As minhas desculpas pela demora . tenho andado afastada do Blog devido a outros trabalhos.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar