segunda-feira, novembro 08, 2004

OS QUATRO CANTOS DA TERRA


Os Quatro Cantos da Terra

2002
65 x 81 cms
Técnica mista - colagem tela sobre tela e acrílico
Isabel Magalhães

Col. Particular

19 comentários:

  1. ...dois em terra e dois pelo ar; dois conhecidos, dois desconhecidos; dois pequenos, dois grandes; dois densos, dois leves; dois reais, dois metafísicos, dois narrativos, dois poéticos… quatro trangíveis, quatro faces de uma vida, luminosa.

    ResponderEliminar
  2. Será que podemos escolher o nosso canto? Será que é ele que nos escolhe? Ou será que os quatro cantos são nossos?

    Beijinhos estrelados deste canto do mundo ;)

    ResponderEliminar
  3. Ou será que é tudo obra do acaso? :))

    Beijinhos, minha amiga Noite, com estrelas também! :)

    ResponderEliminar
  4. Lembra-me uma rosácea em vitrais de ouro e rosas terra. Poderosa, por todo o mistério que se adivinha.
    Beijinho, Isabel.

    ResponderEliminar
  5. Também a minha primeira imagem foi a de um vitral! Por onde a luz nos chega com as tonalidades da tua arte. Iluminando os cantos que são nossos e dos outros. Beijinho.

    ResponderEliminar
  6. Musalia;

    Bem lembrado! :)))

    Beijinhos e bons sonhos.

    ResponderEliminar
  7. Francisco;

    Interessantes as imagens que se vão formando e me são transmitidas por quem me escreve, e que não tenho qualquer dificuldade em subscrever. :)

    Assim, à distãncia, recordo - pois há dois anos que não vejo a tela - que era mesmo a Humanidade nos quatro cantos da Terra, "Nós" todos, e outras simbologias que agora não vêm ao caso! :)

    Um beijinho de boa noite.

    ResponderEliminar
  8. Partes separadas de costas voltadas;
    cantos num objecto esférico criados pelo engenho do Homem;
    Partes iguais separadas na sua diferença;

    Partes da mesma peça, perpendicularmente separadas, por rectilíneas diferenças, de forma tão assimetricamente equidistante!

    Bjs :-)

    ResponderEliminar
  9. A mim lembra não vitrais, mas iluminuras medievais. Até nas cores. Beijinhos, Isabel.

    ResponderEliminar
  10. "Partes iguais separadas na sua diferença"...

    Gostei!

    Obrigada, R. Gui! Um beijinho.

    ResponderEliminar
  11. Azulinha;

    Chamo a estas cores, a minha "costela" barroca :))) embora não deixe de concordar com a tua interpretação.

    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  12. Olá Isabel

    Tantas interpretações e simbologias sugerem um autêntico "Código IM", em breve um sucesso literário. ;)

    É bom vir aqui a este cantinho da Terra conhecer as tuas obras. :)

    Beijinhos

    João M.

    ResponderEliminar
  13. Olá Emilio!

    Bons olhos o leiam! Como vai a vida... e a pintura? :)
    Tenho passado pelo seu "espaço", pelo prazer de o ler, embora sem comentar.

    Obrigada pela visita e pelas palavras aqui deixadas.

    Um beijinho para si.

    ResponderEliminar
  14. Olá João Miranda!

    Não quero ser responsável pela morte de mais uns quantos Conservadores de Museu! : Vamos deixar isso à ficção do Dan Brown. :)

    Obrigada por te sentires bem neste "Canto da Terra".

    Keep in touch.
    *****

    ResponderEliminar
  15. Os opostos atraem-se ou a nossa massa encefálica a cores.:)

    ResponderEliminar
  16. E porque não um "Escudo Africano"? Creio que ainda não foi aqui sugerido. :)))

    Beijinhos, Fernão. Boa semana para ti!

    ResponderEliminar
  17. uiiii!:) posso dizer que "janela"...:)
    teresa

    ResponderEliminar