terça-feira, novembro 28, 2006

ALÉM TEJO

ISABEL MAGALHÃES
ALÉM TEJO
2001
73 X 60
acrílico sobre tela

(Col. Particular)


TEORIA DO SUL

Folheia-se o caderno e eis o sul. E
o sul é a palavra. E a
palavra des-
do-
bra-
-se
no espaço com suas letras de
solstício e de solfejo. Além
de ti. Além do Tejo.

Verás o rio. E talvez
o azul. Não
o de Mallarmé: soma de branco
e de vazio.
Mas aquela grande linha onde o abstracto
começa lentamente a ser o
sul.

MANUEL ALEGRE


34 comentários:

  1. boa noite

    uma tela linda com um poema que gosto a acompanhar! (esta não está do outro lado pois não??)

    até amanhã!

    ResponderEliminar
  2. Ahhhhhh...que bonito :-)

    e quentinho! o que sabe mt bem agora no Inverno ;-)


    Quanto ao Sul, tambem temos a Sulista do South Lisbon...Ehhehehe!

    Beijinho

    ResponderEliminar
  3. abstracto...



    o sul.





    ___________________________

    ResponderEliminar
  4. estou em casa
    .
    .
    total e absolutamente

    .

    ( e mais não digo )

    .
    .
    .

    retiro.me e deixo um beijo

    ResponderEliminar
  5. ( afinal digo .não resisto )

    .

    gosto do seu gosto a além tejo

    .
    .
    .

    outro beijo!

    ResponderEliminar
  6. Um momemto espectacular este! A associação desta magnifica tela e a poesia de Manuel Alegre.
    Soberbo!

    Um abraço carinhoso e boa semana ;)

    ResponderEliminar
  7. Soberba imagem. ( Pena o Alegre, lolol ). Bjinho.

    ResponderEliminar
  8. Como se casa a imagem e o poema, direi mesmo, sem direito a divórcio!

    ResponderEliminar
  9. além do tejo mora uma saudade de cores e de texturas...que Tu desbravas na internitência dos dias...




    bom diA....


    (ainda a fugir)


    :))))))


    beijos. Princ.....!

    ResponderEliminar
  10. Ola, boa tarde a todos;

    Tantos elogios, tanta sintonia...! :)))

    Muito obrigada. sinceramente!


    Agora o nosso amigo pintoribeiro... :)))

    para mim a arte e a literatura não têm cor - e não estamos a falar de manifestos partidários. :)))

    e sim... gosto muito do Alegre (POETA).

    como PR (não me refiro ao seu cão ihihih) não o queria.

    já agora diga-me lá... um bom poeta que não seja de esquerda! se calhar contamos pelos dedos. :)))))



    [[]] *** e sorrisos.

    tenham uma boa tarde.
    aproveitem o sol.

    ResponderEliminar
  11. "auspiciosa respondedora de comentários"....como não gostar-te??????


    _________________


    estou a chegar. de um sul ao sul. devagar. devagarmente.



    __________beijos.

    ResponderEliminar
  12. Foi botada num mundo ao contrário no mês das colheitas e das debulhas, debaixo de um céu assim. Vinha rubra, escarlate, a berrar de raiva raivosa, a pele descarnada de tantos meses a sentir no ventre o ressoar de tormentos familiares. Ao fim de umas horas vestiram-na de branco e largaram-na ao calor da seara dourada. Viveu muitos dias a espalhar risos na erva-leiteira e a picar a pele nas espigas da vida. Lavou as ramelas na água dos ribeiros e esverdeou os olhos nas folhas dos salgueiros. Voou para lá do horizonte onde vivia um sol sempre brilhante que brincava com a chuva. Foram eles que a ensinaram a trocar as dores pelas cores, a ignorar o vento agreste e a sentir a arte como se ela fosse sempre um maravilhoso arco-celeste.

    Fui ao teu blogue das telas e decidi plagiar a Cici, mas ela não se importa.
    Belíssimo este teu Além Tejo.

    Beijo

    G

    ResponderEliminar
  13. outra que se perdeu no Alem Tejo...

    ( bêjes )

    ResponderEliminar
  14. Isabelinha MF;

    Já chegaste, cherie?





    bisous.

    _________________________

    G (sem link) :)))))

    Eu estava a reconhecer o comentário. A minha memória de 4 estrelas e meia não me atraiçoa... :)

    Um comentário destes fica sempre bem em todo o lado. :)

    Agradecida.

    ________________________

    Cumpadre Al-jibinhe;

    fique vocemecê sabende c'o Além Tejo é um locale 'bués da bom' pr'agenti se perdere... e se for a dois ainda melhori! :)))

    Já meteu os cameles do redil?

    Acendeu a chaminei na tenda? olhe c'hoje 'sta frio.

    Tome lá um bêje.
    durma bem.

    ResponderEliminar
  15. Olá Isabel,

    Uma tela maravilhosa, prenhe de azuis... (private joke)... que o 'meu' além-tejo tem muito azul...

    E 'meu' porque cada um tem o 'seu', e eu tenho aquele que se gravou fundo na minha alma vagabunda.

    Obrigado por partilhares este poema em forma de tela.

    bjs,

    ResponderEliminar
  16. ___________________

    E porque te hás-de lembrar apenas da Santa e não da Rainha ?

    As Santas não pintam assim; as mãos delas estão sempre juntas, em concha, em êxtases ao Criador...:)

    As tuas ... ardem.
    Aqui, nas minhas cores.
    E no rio, a desova da melancolia.

    Beijo, a roçar os sonhos.

    ResponderEliminar
  17. Sida, 25 anos depois. Bom dia Isabel.

    Bjinho.

    ResponderEliminar
  18. Sem humor ou humores, bom dia e bjinho.



    ( No outro sou mesmo o único único. São elas ).

    ResponderEliminar
  19. Muito bom dia, a TODOS! :)))))

    Vamos a 'despache'...

    (Como diz um(a) amigo(a) Berbere que eu tenho lá nas terras do Garb!)

    pintoribeiro - Bom dia, sempre com MUITO humor. (o que seria de nós sem ele?) e sem a possiblidade de dizer o que sentimos?

    Então e a lista? estava a contar com ela... que isto é um espaço " a m p l o ". Aguardo! :)

    ___________________________

    pianola - depois vou lá visitar-te.
    (quando leio o teu 'nick' lembro-me sempre do David M-F... "uma pianola... um posto... e ao derredor o mês de agosto" ...se calhar não é assim. tenho que verificar) :)

    _____________________________

    Nnannarella - Qdo disse a Santa era implícito a RAINHA. a MULHER. a que generosamente dava aos pobres. (eu adoro lendas) :))) e que não é representada com as mãos juntas em concha, mas sim no regaço... em despoamento. em oferta.

    Já espreitei a 'MARIA'... e tenho que voltar com mais tempo, com o tempo que se impõe. A Graça Morais é uma senhora cujo trabalho venero.

    ________________________

    Agora o meu amigo e sócio gestor o
    José António - Claro que é prenhe de azuis, com ou sem private joke! Então o 'azul' acima não é uma ilusão de óptica? Cada um cria a sua. :) Este foi 'apanhado' à hora em que o azul muda de cor. Mas depois vem outro dia e o azul aparece. :)

    Se eu vivesse no Alentejo tb escolhia um pedaço com mais céu azul, aquele azul que lhe vem do mar. o azul da "costa alentejana".

    _____________________

    e agora deixo beijos e abraços e para os mais 'contidos' um bom dia e até logo. :)

    ResponderEliminar
  20. não chérie....recuso-me a chegar....parto. em silêncio adamascado....:)))).


    e tens razão....Pedro Abrunhosa....


    estranha e deliciosa sintonia.


    beijos.

    ResponderEliminar
  21. ola boa tarde e de fugida

    devo voltar logo

    talvez

    abraço

    (sábado 'micro')

    ResponderEliminar
  22. Doce Escritora - os damascos... os brocados... as Rainhas... o gosto simples pelo 'melhor'! :)))



    pois... as sintonias... e as recusas...

    partidas... chegadas. é bom partir. sou 'caranguejo'... o lar é onde está o coração. :)

    bjs e até amanhã.

    __________________________

    TD - uma boa tarde.

    vou andar 'ausente'... :)

    fique bem.

    ResponderEliminar
  23. Nnannarella...

    obviamente era "despojamento".

    (acho que escrevo mais rápido que esta coisa e depois faltam letras.)

    ResponderEliminar
  24. Milladi
    vim dexar-lhe já as bo notes, cá a note vá ser longa
    Beges
    Quanto à pintura goste munto destes "meus" ocres e continue a gustari do Alem tejo que só lhe faz beim.
    Quanto ao Alegre é um dos últemos poetas resistentes e é munto bom esta visão dele do Alem tejo.
    Beges

    ResponderEliminar
  25. o cão já passeou os donos.adultos
    os donos.adultos já estão cansados
    os donos.crianças dormem
    e amanhã há mais para contar

    boa noite!

    ResponderEliminar
  26. Um azul ardente? Porque não? O azul pode ser o que quisermos quando a beleza de tela e poema nos transportam ao sonho. :)
    Beijos

    ResponderEliminar
  27. disse que hoje havia mais a contar
    não há
    cão passeou dona.adulta e desejamos boa tarde

    ResponderEliminar
  28. Olá Isabel,

    O meu além-tejo azul é o meu aquém-tejo de moço . das férias de verão em são torpes . do ficar deitado no chão a olhar as águias voarem lá no alto . do banhar nos canais de rega . das cheias espumosas invernosas arrastando laranjas rumo ao norte . das largadas em sta. susana . das barragens nas valetas rumo à escola . e tantas outras coisas azuladas esfumadas perdidas no fundo da memória velha e calcinada pelo tempo . pim.

    bjs,

    ResponderEliminar
  29. O Tejo de um Além impenetrável fica mais distante se o segredo for guardado (como os rebanhos)

    dificil é ir reconhecendo as cores...

    ah, e os "silêncios adamascados"...
    nas chegadas e nas partidas que são a mesma coisa...

    a espera.



    Beijo.
    ____________________________

    ResponderEliminar
  30. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar
  31. As cores da terra...gosto muito desta pintura.

    ResponderEliminar
  32. Bandida;

    hum... hummm...

    'silêncios adamascados'... :)))


    beijo.

    _________________________

    magarça,

    quando li o seu comentário no e-mail pensei que se referia a uma outra tela 'As Cores da Terra'!

    obrigada. :)

    ResponderEliminar