segunda-feira, novembro 27, 2006

"Estou num pedestal muito alto, batem palmas e depois deixam-me ir sozinho para casa. Isto é a glória literária à portuguesa.
” Mário Cesariny". (1923-2006)

31 comentários:

  1. "A poesia foi um fogo muito grande que ardeu.
    Depois ficaram as cinzas.
    Náo sou capaz de dizer versos porque sim.
    Acabou."

    Até outro instante...

    ResponderEliminar
  2. Lá se foi o surrealismo Português.

    a frase que escolheu é explêndida

    só podia ser

    Deixo um contributo modesto em surrealismo:

    "Lá em casa tudo bem. Tirando o cão que acordou a resmungar pois não encontrava a gravata e estava atrasado para o emprego. Não liguei e fui acordar os miúdos. O marido já tinha debandado para o trabalho na procura incessante dos selos perdidos dos caixotes a expedir.

    A rapariga saiu do banho ainda atordoada. Faltavam-lhe as sapatilhas do ballet e tinha espectáculo à noite. Deu três piruetas na sala e mergulhou nos flocos da manhã antes de enfrentar a mochila da escola. Torceu o nariz. Grego antigo nunca foi do seu agrado.

    Já o adolescente olhou-a em tom de reprovação. As pedras afiadas da calçada dariam cabo do calçado e iriam furar-lhe os pneus da bicicleta. Como chegar a tempo à primeira aula?

    Eu cá deixei de ligar às confusões matinais. Empilhei os livros para ver se chegava à chaminé de modo a livrar-me das corujas que fizeram ninho.", Teresa Durães, 2006

    ResponderEliminar
  3. Olá Louco de Lisboa;

    não é capaz de dizer versos mas escreveu uma bela prosa poética. :)


    Tb não podemos dizer 'acabou'...

    não há provas de que sim nem nim...

    'Negar é já admitir'... não é? :)

    Tenha um bom dia... apesar da chuva.

    __________________________

    TD;

    obrigada.

    obrigada tb pela contribuição. :)

    qq começo de dia numa casa de pais trabalhadores com crianças/adolescentes em idade escolar - ou não - é um perfeito 'surrealismo'. :)

    (a minha filha tinha o estranho hábito de tirar os atacadores das botas, à noite. uma atitude 'surrealista'; sem dúvida!) :)

    até logo.

    ResponderEliminar
  4. O homem é eterno perdurará pela sua obra, boa semana.

    ResponderEliminar
  5. Já que não ouves, ficas com a letra!... :)

    Ala Dos Namorados - Há Dias Em Que Mais Vale...

    Há dias
    Em que não cabes na pele
    Com que andas
    Parece comprada em segunda mão
    Um pouco curta nas mangas

    Há dias
    Em que cada passo e mais um
    Castigo de Deus
    Parece
    Que os sapatos que vês
    Enfiados nos pés
    Nem sequer são os teus

    A noite voltas a casa
    Ao porto seguro
    E p'ra sarar mais esta corrida
    Vais lamber a ferida
    Para o canto mais escuro

    Já vi
    Há dias em que tu
    não cabes em ti

    Avança
    Na cara desse torpor
    Que te perde e te seduz
    A espada como a um Matador
    Com o gesto maior
    Do seu peito Andaluz
    Avança
    Com a raiva que sentes
    Quando rangem os dentes
    Ao peso da cruz

    Enfim,
    Há dias em que eu
    Também estou assim

    Parece que pagamos os
    Pecados deste mundo
    Amarrados aos remos de um
    Barco que está no fundo.

    ResponderEliminar
  6. Caro Barâo;

    o mais de acordo possível.

    acabei de chegar da 'sua casa' onde vivi uns momentos deliciosos - como é hábito. :)

    um abraço.

    ____________________

    Sotavento;

    Não percebi porque razão não ouvi... o meu computador tem o som em ordem.

    Obrigada pela letra... um bocado negativa, a meu ver. (talvez apenas uma letra... como tantas outraa para entrar no ouvido...e vebder.

    Ou talvez eu seja suspeita porque sou optimista. :)

    volte mais vezes. :)

    ResponderEliminar
  7. :))))
    :)))))))))))))))
    :))))))))))))))))))))))
    ____________________!



    beijo-te.

    ResponderEliminar
  8. da "Pena Capital" de Cesariny
    deixo.lhe a sua ( dele ) homenagem a Cesário Verde
    ( dois grandes que se encontraram ... não me interessa onde ,mas sei que sim )

    aos pés do burro que olhava para o mar
    depois do bolo-rei comeram-se sardinhas
    com as sardinhas um pouco de goiabada
    e depois do pudim ,para um último cigarro
    um feijão branco emsangue e rolas cozidas

    pouco depois cada qual procurou
    com cada um o poente que convinha.
    chegou a noite e foram todos para casa ler Cesário Verde
    que ainda há passeios ainda há poetas cá no país!

    Mário Cesariny



    um beijo ,Amiga!

    ResponderEliminar
  9. Olá Louco de Lisboa;


    acredite que só agora vi as aspas...! :)))))


    bom... como isto é uma homenagem a um Surrealista acho que o meu comentário se enquadra! eheheh!

    de qq modo as minhas desculpas pela confusão. :)

    um abraço.
    I.

    ResponderEliminar
  10. Cara prima:

    Gostei muito do seu blog. Nesta matéria, como deve ter reparado, eu sou um aprendiz.

    Primo de Amarante

    ResponderEliminar
  11. Mendes Ferreira;

    Pianíssima rasante;

    "va.va." que estás muito sorridentis! :)))





    bjs. mtos.
    _______________________

    Al-jibinhe;

    Obrigada.

    bela a oferenda.

    Muita água no deserto? E a camelagem, de boa saúde?


    bjs.

    ResponderEliminar
  12. Caro Primo de Amarante;

    É um prazer receber a sua visita.

    Eu, 'só sei que nada sei', nem disso tenho a certeza, mas sei que o que sei é uma gota de água de tudo o que há para saber.

    E todos os dias aprendo... ou tento aprender! :)))

    Receba um abraço alfacinha.

    ResponderEliminar
  13. isto hoje foi um compêndio cesariny,

    reli
    descobri
    (e reli reli reli)

    boa noite

    ResponderEliminar
  14. olá olá!!!!! Eu sabia que vinha aqui hoje e iria encontrar algo sobre esta figura!!!!

    Um beijoca com saudades

    ResponderEliminar
  15. Olá Isabel,

    Faltava eu na cerimónia, desculpa o atraso, mas está a chover a potes... ;p
    Também já é hábito, e sou conhecido por isso, chegar à última hora...

    Pois, mais uma vez se cumpre esta tradição tão portuguezinha.
    Enquanto um homem, ou mulher, vive, ninguém o conhece ou fala dele. As novelas vendem mais, muito mais.
    Assim que morre, explodem os média em manifestações de pesar e documentários. Coisas provavelmente gravadas há anos e guardadas na prateleira à espera da gadanha...

    Triste país este!

    bjs,

    ResponderEliminar
  16. Olá Mocho Falante;

    Viva!!! Que saudades! :)


    Era previsível, não era? ;)))


    Uma beijoca colorida.

    _____________________________

    Amigo J.A.;

    Mais vale tarde do que mais tarde! :)))

    Quanto ao resto

    país padastro...

    p(m)átria madastra.


    Com tanto sítio para nascer, não é?


    bjs.

    ResponderEliminar
  17. enquanto existir um livro.... há um poema dele...(n)ele...






    abraço(meu)!
    ________________________

    ResponderEliminar
  18. excelente frase, sei q já foi dito, mas de todas as homenagens que li nos blogs esta sem duvida é muito.

    1 bj*

    ResponderEliminar
  19. Amem-me em vida, esqueçam-me em morto. Triste história triste a dos tristes tugas tristes.
    Bom dia Isabel.

    Bjoca.

    ResponderEliminar
  20. ___________

    O mundo é pequeno... ou eu tenho uma pontaria inigualável...:)
    Encontrei o Victor Lages por acaso, procurando a rainha que só o foi depois de morta...

    Gostaste. Rainha és. Mas presente.:)
    Um beijo. Até logo.

    ResponderEliminar
  21. Bom dia a quem ainda não disse. :)

    Nnannarella;

    O mundo é pequeno e o concelho de Oeiras ainda mais...! :)

    Além dos 'Encontros em Agosto" - 2001, http://immm.blogspot.com/2006/02/encontros-em-agosto.html
    tb nos encontrámos noutras colectivas e tento estar presente sempre que o V.L. mostra o que faz. Aqui à volta há trabalho dele no Hotel e na Igreja Paroquial. É um "workaholic"... nem sei como consegue criar e produzir tanto. :)))
    Quanto à Rainha... não sou mas tenho sempre presente a Santa do mesmo nome. :))))))))

    beijnho.
    I.

    ResponderEliminar
  22. Ele bem conhecia o paizinho em que vivia!

    ResponderEliminar
  23. Olá Isabel
    Também gostei muito da tua homenagem.
    Parabéns!

    ResponderEliminar
  24. ...ou:
    isto é portugal no seu melhor!

    Bonita homenagem ;-)

    Bjs

    ResponderEliminar
  25. Morreu o homem, efectivamente. Fica o Poeta, que perdurará, mesmo depois de todos nós desaparecermos...

    Beijo de boa noite ;)

    ResponderEliminar
  26. pintoribeiro;

    Uma boa noite tb para si! :)))




    beijinho.

    ResponderEliminar