segunda-feira, outubro 18, 2004

OS ELEMENTOS - FOGO


Os Elementos - Fogo

1998
100 x 60 cms
Acrílico sobre tela
Isabel Magalhães

Col. Particular

19 comentários:

  1. Adoro esse vermelho quentíssimo, no meio do frigidíssimos azuis das pontas :-)
    P.S.- também me sinto quase sempre um puto, muitas vezes apanhado em falta LOL!
    Beijinhos :-)Isabel

    ResponderEliminar
  2. Os azuis das pontas são as minhas simbologias - o mar de que nasci e o espaço para onde vou. Pelo meio, ficam os caminhos que "percorro"! :)

    p.s. E que Deus me conserve a minha alma - e o meu sono - de criança. :))
    Bjs Yardbird... e obrigada.

    ResponderEliminar
  3. Amor é FOGO que arde sem se ver...:)

    ResponderEliminar
  4. Arte é sedução.
    Seduzido que estou, concluo: estou em presença não apenas de uma obra de Arte, mas de uma Artista sublime. Adorei o quente do rubro.
    Beijos amiga Isabel

    ResponderEliminar
  5. Céu e mar são os limites, dentro dessa imensidão, desse espaço, a vida executa-se. Em tons de paixão, fogo arrebatador, brilhos de ouro fundidos em raios de sol, em terra fervente e amante. Os elementos de que é feita essa vida, gravados sabiamente na tela, receptáculo da arte que te guia a mão. Clara, inconsciente, apaixonada.
    Beijinho, amiga.

    ResponderEliminar
  6. Exactamente, Fernão! Já dizia o Luiz Vaz de Camões! :)

    ResponderEliminar
  7. Seduzida estou eu! :)
    As vossas palavras [Musalia e LetrasAoAcaso]fazem-me ver a tela com outros olhos. Parece que o vermelho ficou mais vermelho e faço leituras até agora ignoradas.

    Obrigada a ambos, do fundo do coração.

    Beijos e noite feliz. :)

    ResponderEliminar
  8. O " "

    Isto sou eu de boca aberta e sem palavras...

    Fiquei ESMAGADO! :)

    []

    ResponderEliminar
  9. José António;

    Isso de ficar "esmagado" é bom ou mau? :)))

    Outro []... mas sem me "esmagar" que eu sou mignone e frágil! :)

    ResponderEliminar
  10. Uma tela de contrastes. Como a vida. Entre as emoções e a serenidade. Belíssima.
    Francisco

    ResponderEliminar
  11. Olá Francisco, hoje está mau tempo. O anti-ciclone não está a funcionar. Vou "postando" cores vivas para alegrar o espírito.

    Obrigada pela tua visita e pelo apreço! :)

    ResponderEliminar
  12. Fogo impetuoso
    Fogo de impulsos
    Fogo de sentimentos
    Fogo de desejo
    Fogo de paixão
    Lava que cria o chão que pisamos
    Placenta do Ventre que dá vida a esta partícula de Universo!

    Isabel, esta é uma tela lindissíma, cheia de vida!

    bjs

    ResponderEliminar
  13. Há telas que "pioram" na fotografia; esta saiu a ganhar! :)))

    Obrigada pela prosa poética. Se a tela tivesse vida própria, certamente que também viria agradecer as tuas palavras.

    Beijinhos... à dupla de Sintra! :)

    ResponderEliminar
  14. Olá.

    'Esmagado', neste caso, significa... ES-MA-GA-DO ! :)

    ... de emoção, sobretudo. Mas também delírio, frémito, comoção, murro-no-estômago, paixão, transcendência, visão alucinante para-lá-de, enfim, certeza arrepiante perante o Sublime Belo!

    Visão do momento da Criação!
    É, sou um homem de profundos sentimentos religiosos.
    Católico, romano e apostólico. Mais romano que apostólico... :)

    []

    ResponderEliminar
  15. UAUUUU!!!! :)))

    Oh José António, eu, em Roma, também sou romana! :)

    Outro [].

    P.S. Adoro este sinal (cabalístico) do abraço. :)

    ResponderEliminar
  16. Um fogo que me consome, a par de um céu que me chama.

    ResponderEliminar
  17. Noite;

    Obrigada pelas palavras! :))) ***

    ResponderEliminar
  18. Belíssimo. Nas cores quentes, na paixão que se sente.
    Gosto tanto destes tons...
    um beijo

    ResponderEliminar
  19. Olá Vague;

    Já tinha saudades! :))) Gosto de te ler!
    Um beijinho para ti. :)

    ResponderEliminar